Cinema, ao fim e ao cabo. Primeiras impressões sobre o impacto da Lei 12.485/11, a lei da TV a cabo.

Mannuela Ramos da Costa

Resumo


O presente artigo analisa o impacto da Lei 12.485/11, conhecida como Lei da TV a cabo, sobre o mercado cinematográfico de produção independente. Para tanto, vale-se de um breve diagnóstico do papel da televisão para o cinema independente nacional e inclui análise dos agentes do setor, passando pela problematização da atuação agência reguladora do cinema no Brasil, a ANCINE. Com esses objetivos, utiliza-se de literatura especializada sobre regulação do setor de comunicações, oriundos da Economia Política da Comunicação e de entrevistas a agentes da produção cinematográfica independente brasileira.

Palavras-chave


cinema; televisão; regulação; produção independente

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22475/rebeca.v4n1.176

Direitos autorais 2016 Rebeca - Revista Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual



REBECA - Revista Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual

voltar para a revista


A rebeca é uma publicação da SOCINE - Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual

conheça o site da SOCINE


Licença Creative Commons

 Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia