Chris Marker e a perdição do tempo

Pedro Trindade Kalil

Resumo


Este artigo é uma reflexão sobre o tempo, o cinema e o tempo do cinema, se apoiando na obra de Chris Marker, mais particularmente de seu famoso curta-metragem La Jetée. Para tal análise, articularei o conceito imagem-tempo do filósofo francês Gilles Deleuze com o filme de Marker. Nesse sentido, espera-se esmiuçar o filme francês, seus métodos e história, para provocar uma reflexão incisiva sobre o tempo cinematográfico e a relação particular do sujeito com o tempo.

Palavras-chave


Chris Marker; La Jetée; Imagem-Tempo; Tempo.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22475/rebeca.v4n2.161

Direitos autorais 2016 Rebeca - Revista Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual



REBECA - Revista Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual

voltar para a revista


A rebeca é uma publicação da SOCINE - Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual

conheça o site da SOCINE


Licença Creative Commons

 Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia