Para ser lido no volume máximo: a década de Bowie e o glam rock em Velvet Goldmine

Lucio Reis Filho

Resumo


O presente ensaio propõe uma análise deVelvet Goldmine(VELVET, 1998a), filme impregnado de referências à obra de David Bowie e que retoma a era do glam rock. A fim de lançar luz sobre as influências intertextuais observaremos o caráter subversivo de Bowie, bem como suas apropriações do imaginário da ficção científica em fins dos anos 60 e início dos anos 70, que resultaram no arco Ziggy Stardust de sua carreira. Em seguida, considerando o duradouro legado da nova política de identidade que David Bowie ajudou a promover, abordaremos a virada cultural dos anos 90, momento em que o cinema passa a operar a revisão e o redimensionamento do passado histórico, criando histórias alternativas que misturam fato e ficção. Por fim, observaremos como Velvet Goldmine(VELVET, 1998a) revela as contradições existentes na promessa de liberação individual do glam, trazendo à tona questões ainda prementes nos anos 90 ligadas à identidade sexual.


Palavras-chave


Velvet Goldmine; David Bowie; ficção científica; glam rock

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22475/rebeca.v6n2.247

Direitos autorais 2018 Lucio Reis Filho

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

REBECA - Revista Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual

voltar para a revista


A rebeca é uma publicação da SOCINE - Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual

conheça o site da SOCINE


Licença Creative Commons

 Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia