A cena do conflito, o processo na montagem: reflexões sobre Cinco câmeras quebradas

Maria Ines Dieuzeide Santos Souza

Resumo


A partir da noção de filme-processo, este artigo propõe uma análise do documentário palestino-israelense Cinco câmeras quebradas(CINCO, 2011). Neste filme, acompanhamos imagens registradas durante seis anos, posteriormente montadas e narradas em primeira pessoa por Emad Burnat. Atentando para a cena e os procedimentos de montagem, buscamos compreender como o processo – marcado pela violência – se instaura nas imagens (suas falhas, defeitos e lacunas) e rege a concepção do filme. 


Palavras-chave


documentário; filme-processo; conflito; cinema palestino

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22475/rebeca.v6n1.259

Direitos autorais 2018 Maria Ines Dieuzeide Santos Souza

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

REBECA - Revista Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual

voltar para a revista


A rebeca é uma publicação da SOCINE - Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual

conheça o site da SOCINE


Licença Creative Commons

 Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia