Viagens, passagens, errâncias: notas sobre certo cinema latino-americano na virada do século XXI

Autores

  • Alessandra Soares Brandão UNISUL

DOI:

https://doi.org/10.22475/rebeca.v1n1.267

Palavras-chave:

cinema latino-americano, viagem, passagem, século XXI

Resumo

Este artigo busca mapear narrativas de viagem e as políticas do deslocamento que aparecem de forma significativa no cinema latino-americano na passagem do século XX para o século XXI. Parte-se de uma perspectiva de que muitos dos filmes desse contexto parecem responder a um impulso transnacional corrente e oferecem uma possibilidade crítica para questões relacionadas ao trânsito, à mobilidade humana e às suas implicações políticas. São filmes que problematizam justamente o que está em jogo no trânsito: as formas políticas e estéticas que afloram de suas narrativas de deslocamento; as negociações que surgem dessas passagens; e o modo com que convidam ao afeto e tensionam os limiares, as fronteiras. As implicações políticas são múltiplas e ensejam reconfigurações de noções como casa, nomadismo e per tencimento, além de uma mirada que escapa às reduções paralisantes e homogeneizadoras das identidades, para buscar o lastro das singularidades que lampejam nas viagens do cinema latino-americano recente. Na trajetória nomádica desses filmes, a força desterritorializadora do cinema constrói afiliações e oferece um espaço de imaginação para uma cartografia da América Latina que se expande em des/reterritorializações, nas quais o que se partilha é, justamente, uma heterogeneidade irredutível que emana da força mesma de suas singularidades.

Biografia do Autor

Alessandra Soares Brandão, UNISUL

Professora do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem da Universidade do Sul de Santa Catarina. Atualmente, desenvolve pesquisa de pós- doutorado no Centre for World Cinemas da Universidade de Leeds, Inglaterra.

Downloads

Publicado

2016-07-25

Edição

Seção

Dossiê