Edgar Pêra desenha ambientes documentados

Autores

  • Ana Isabel Soares Universidade do Algarve

DOI:

https://doi.org/10.22475/rebeca.v3n2.328

Resumo

A filmografia documental de Edgar Pêra (1960- ) tem vindo a consubstanciar-se na afirmação de um olhar experimental, que ao mesmo tempo regista, recria e presentifica tópicos relacionados com a cultura de Portugal. A partir do conceito de stimmung (Gumbrecht, 2012), propõem-se linhas de leitura no sentido de entender dois desses documentários – A Cidade de Cassiano (1991) e Movimentos Perpétuos – Cine-Tributo a Carlos Paredes (2006) – como obras que sugerem um stimmung próprio da cultura portuguesa. Ao mesmo tempo, afirma-se a filiação assumida por estes documentários (e, com grande probabilidade, de toda a filmografia do realizador) na história do cinema português.

Biografia do Autor

Ana Isabel Soares, Universidade do Algarve

Doutorada em Teoria da Literatura pela Universidade de Lisboa e Professora na Universidade do Algarve. Desenvolveu pós-doutoramento sobre poesia e cinema documental português, no Programa em Teoria da Literatura da Faculdade de Letras de Lisboa. É membro integrado do CIAC - Centro de Investigação em Artes e Comunicação. É membro fundador e foi a primeira presidente da AIM - Associação de Investigadores da Imagem em Movimento. Desempenhou nos últimos anos funções no Ministério da Educação e Ciência (Portugal) e no Camões - Instituto de Cooperação e da Língua.

Publicado

2016-07-25

Edição

Seção

Dossiê