MEDO E EXPERIÊNCIA URBANA: Breve análise do filme O Som ao Redor

Autores

  • Cristiane da Silveira Lima
  • Milene Migliano

DOI:

https://doi.org/10.22475/rebeca.v2n1.53

Palavras-chave:

Medo, Experiência Urbana, Cinema Brasileiro Contemporâneo

Resumo

Neste trabalho apresentamos uma breve análise do filme O Som ao Redor (Kleber Mendonça Filho, 2012), ficção que narra a chegada de um grupo vigilantes noturnos em um bairro de classe média e as mudanças no cotidiano de seus moradores. O filme tem como mote a questão da segurança e da violência nos grandes centros, e permite-nos pensar sobre urbanismo, especulação imobiliária, colonialismo, individualismo, consumo. Discutimos aqui como o filme dá a ver a cidade como lugar de partilha e dissenso, permitindo ainda vislumbrar outros mundos possíveis (RANCIÈRE, 1996). Para empreender tal análise, destacamos como o filme, a partir de seu regime de enunciação específico, se vale de recursos dos filmes de horror para acionar a experiência do espectador e deixá-lo em estado de alerta a respeito de sua própria experiência urbana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-07-25

Edição

Seção

Temáticas livres