Superstar e Safe de Todd Haynes: Espaços Femininos Subversivos

Bárbara Paiva Correia de Vallera

Resumo


Os woman’s films de Todd Haynes: Superstar: The Karen Carpenter Story (1987) e Safe (1995), mesmo que coincidam com o melodrama, têm a sua especificidade enquanto filmes de mulheres, de acordo com a designação de Mary Ann Doane: “The woman’s film, quite simply, attempts to engage female subjectivity”.

Partindo da identificação do realizador com as suas personagens femininas, e, do seu afecto pelo cinema, este artigo abordará a forma como Todd Haynes vai interpelar essa especificidade, articulando os espaços domésticos femininos com a doença e o subúrbio, gerando, assim, outras formas de percepção do woman’s film na contemporaneidade, problematizando o género, os espaços repressivos e as doenças que a cultura identifica como femininas.


Palavras-chave


melodrama, terror, espaço suburbano, espaço doméstico, woman’s film.

Texto completo:

PDF (Português (Portugal))


DOI: https://doi.org/10.22475/rebeca.v8n2.591

Direitos autorais 2020 Bárbara Paiva Correia de Vallera

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

REBECA - Revista Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual

voltar para a revista


A rebeca é uma publicação da SOCINE - Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual

conheça o site da SOCINE


Licença Creative Commons

 Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia