A segunda fase da conversão para o cinema sonoro no Rio de Janeiro (1929-1930)

Rafael de Luna Freire

Resumo


Este artigo define e caracteriza a segunda fase da conversão para o cinema sonoro na cidade do Rio de Janeiro, entre outubro de 1929 e dezembro de 1930. Entendemos esse processo como a adaptação do circuito cinematográfico exibidor carioca para a projeção de filmes sincronizados no sistemas vitaphone e movietone. São discutidas as principais características dessa segunda fase, quando a nova tecnologia se espalhou por diferentes regiões da cidade, atingindo salas de cinema mais populares, e consolidando o novo formato de exibição junto ao público carioca.

Palavras-chave


cinema sonoro, exibição, salas de cinema, Rio de Janeiro.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22475/rebeca.v5n1.235

Direitos autorais 2016 Rebeca - Revista Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual



REBECA - Revista Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual

voltar para a revista


A rebeca é uma publicação da SOCINE - Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual

conheça o site da SOCINE


Licença Creative Commons

 Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia