O beijo da mulher aranha (1981/1985) e as identificações e desidentificações pelas quais nos constituímos subjetivamente

Carlos Frederico Bustamante Pontes

Resumo


O trabalho em questão teve como eixo de análise o filme O beijo da mulher aranha (Kiss of the Spider Woman, Héctor Babenco,1985) e, como ponto de partida, o espetáculo teatral homônimo, de 1981, dirigido por Ivan de Albuquerque. A proposta do artigo foi analisar o filme sob o enfoque dos estudos de gênero e sexualidades e averiguar, criticamente, se a construção de cada um dos personagens centrais do filme, Molina e Valentin, bem como o relacionamento entre eles, apontam para identificações positivas e/ou negativas dos sujeitos LGBTQAI+ com a obra. Construídos em moldes de comportamento dissidentes e hegemônicos, concluiu-se que os dois personagens citados e o filme como um todo favorecem tanto para a discussão cada vez mais atual e necessária acerca do lugar do cinema nos processos de constituição subjetiva dos/as espectadores/as quanto para avaliarmos sua atuação sociocultural enquanto veículo de reafirmação e/ou de desconstrução dos modelos de sexo e gênero dominantes.


Palavras-chave


Cinema LGBTQIA+; Identidade de gênero; Sexualidades.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22475/rebeca.v10n1.703

Direitos autorais 2021 Carlos Frederico Bustamante Pontes

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

REBECA - Revista Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual

voltar para a revista


A rebeca é uma publicação da SOCINE - Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual

conheça o site da SOCINE


Licença Creative Commons

 Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia