Resenha de A arte queer do fracasso, de Jack Halberstam

Adriana Azevedo

Resumo


Em 2020 a Companhia Editora de Pernambuco (Cepe editora) nos ofertou a tradução de A arte queer do fracasso, de Jack Halberstam, um marco nos estudos queer, quase dez anos depois do lançamento do original em inglês (The Queer Art of Faillure Duke University Press; Illustrated edição de 12 agosto 2011 – de quando Halberstam ainda assinava como Judith Halberstam). Por conta das conturbações e das crises que atravessamos, infelizmente o livro não fez tanto barulho quanto deveria, já que o autor precisou cancelar sua visita ao Brasil e os debates que aconteceriam em livrarias, como a Blooks do Rio de Janeiro, foram cancelados em decorrência da pandemia do Covid-19. O livro, no entanto, se manifesta como uma leitura necessária e incontornável no campo da teoria queer e feminismos.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22475/rebeca.v9n2.748

Direitos autorais 2021 Adriana Azevedo

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

REBECA - Revista Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual

voltar para a revista


A rebeca é uma publicação da SOCINE - Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual

conheça o site da SOCINE


Licença Creative Commons

 Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia