Dois festivais de documentário brasileiros sob uma perspectiva feminista - forumdoc.bh e Cachoeira.Doc (2010-2020)

Autores

  • Carla Alice Apolinário Italiano Doutoranda no PPGCOM/UFMG - Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.22475/rebeca.v11n1.804

Resumo

O presente artigo busca analisar as escolhas de curadoria, latentes no recorte de dez anos (entre 2010 e 2020), de dois festivais brasileiros dedicados à veiculação e ao debate do cinema documentário, sendo eles: forumdoc.bh - Festival do Filme Documentário e Etnográfico de Belo Horizonte, criado em 1997, e o CachoeiraDoc - Festival de Documentários de Cachoeira, criado em 2010. O artigo visa apresentar um mapeamento ainda pouco explorado, tanto numérico quanto de escolhas estéticas, do cinema de experiência pessoal brasileiro no feminino, notadamente com recortes étnico-raciais e LGBTQIA+, exibidos entre 2010 e 2020 nos dois festivais. Busca-se ainda tangenciar as transformações nos modos de exibição e discussão do cinema documental brasileiro nos últimos anos, apontando mudanças nas formas de figuração em imagem de sujeitos e grupos subalternizados, colocando em curso outras dimensões epistemológicas para a criação e circulação do cinema documental de escrita de si.

Biografia do Autor

Carla Alice Apolinário Italiano, Doutoranda no PPGCOM/UFMG - Universidade Federal de Minas Gerais

Doutoranda em Comunicação Social pelo PPGCOM da Universidade Federal de Minas Gerais e programadora de mostras e festivais de cinema. É uma das coordenadoras do grupo de pesquisa "Poéticas femininas, Políticas femininas" (PPGCOM/UFMG), integra a equipe de programação do Olhar de Cinema - Festival Internacional de Curitiba (2017-2021) e  é uma das organizadoras do forumdoc.bh - Festival do Filme Documentário e Etnográfico de Belo Horizonte. Foi co-curadora das mostras Retrospectiva Helena Solberg (CCBB, 2018), Esta terra é a nossa terra (2020), Retrospectiva Jonas Mekas (2013), entre outras.
 

Downloads

Publicado

2022-07-29

Edição

Seção

Dossiê