Entre afetos e excessos – respostas de engajamento sensório-sentimental no documentário brasileiro contemporâneo

Autores

  • Mariana Baltar UFF

DOI:

https://doi.org/10.22475/rebeca.v2n2.95

Resumo

Este artigo procura pensar sobre modos de articulação do engajamento sensório- sentimental do espectador mobilizados pela narrativa para dar conta de articulações das histórias íntimas e cotidianas nas quais parece se centrar uma tendência importante do documentário brasileiro contemporâneo. Argumentamos, com base na análise comparativa entre os filmes A Falta que me faz (Marília Rocha, 2009) e Elena (Petra Costa, 2012), que ambos os filmes transitam de formas distintas entre os modos de afeto e de excesso como resposta ao paradigma das sensações e da moral da cultura somática que parece marcar a contemporaneidade.

Biografia do Autor

Mariana Baltar, UFF

Professora da graduação em Estudos de Mídia/UFF e do PPGCOM da UFF, e editora da Contracampo (Revista da Pós-graduação da UFF). Publicou diversos artigos em revistas acadêmicas entre eles “Evidência invisível – Blow Job, vanguarda, documentário e pornografia”, na Revista Famecos (2011), e o capítulo “Weeping Reality: Melodramatic Imagination in Contemporary Brazilian Documentary”, no livro Latin american melodrama. Passion, pathos, and entertainment (2009).

Downloads

Publicado

2016-07-25

Edição

Seção

Dossiê