A Modernidade Contra as Lágrimas: O Melodrama e o Nuevo Cine Latinoamericano

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22475/rebeca.v10n2.806

Palavras-chave:

História do Cinema Latino-Americano, Melodrama, Teoria dos Cineastas, Nuevo Cine Latinoamericano.

Resumo

Apresentando um projeto de superação do velho cinema da América Latina, os cineastas do Nuevo Cine Latinoamericano, teorizaram propostas de “novidade” dentro da modernidade cinematográfica, almejando a construção de uma estética revolucionária transnacional. Em seus textos, alguns autores manifestam clara recusa ao melodrama, gênero narrativo de maior sucesso de público no continente e que formou a linguagem cinematográfica dos cinemas nacionais por décadas, mas que foi entendido por esses nomes combativos como reflexo de uma ideologia burguesa conformista. No entanto, essa recusa não se deu sem contradição e o desejo de eliminar o melodrama das filmografias latino-americanas lançadas a partir da década de 1960 não se concretizou e o gênero seguiu sendo reapropriado até os dias de hoje, sendo inclusive encontrado na obra de cineastas deste mesmo grupo. O presente artigo analisará essas oposições ao melodrama, bem como suas contradições, a partir da Teoria dos Cineastas do Nuevo Cine Latinoamericano e de textos que analisam os usos do gênero antes e depois desse período.

Biografia do Autor

Henrique Rodrigues Marques, Universidade Estadual de Campinas

Doutorando pelo Programa de Pós-graduação em Multimeios, no Instituto de Artes da Universidade Estadual de Campinas. Mestre pela mesma instituição. Graduado no curso de Bacharelado em Imagem e Som pela Universidade Federal de São Carlos.

David Ken Gomes Terao, Universidade Estadual de Campinas.

David Ken Gomes Terao é doutorando em Multimeios pela Universidade Estadual de Campinas. É mestre na mesma instituição e graduado pela Universidade Federal do Ceará. 

Downloads

Publicado

2021-11-27

Edição

Seção

Temáticas livres